Portugueses investem cada vez mais em arte

Vendas mundiais de arte em leilão movimentam $10,2 Mil Milhões em 2014

Cristina Andrade

Lisboa, 19 de Março de 2015 - A Artprice apresentou um relatório anual do mercado mundial que aponta para um crescimento da venda de arte em leilão de 26% o que corresponde a um valor de $10,2 Mil Milhões. O nível desta atividade, em comparação com o do ano de 2013, demonstra uma viragem no mercado dos leilões e uma afirmação do negócio da arte. Portugal não foge à regra, embora com números diferentes, como explica Aníbal Pinto de Faria, diretor da P55, a leiloeira que nos últimos dois anos faturou 10 milhões de euros: “As pessoas em Portugal já perceberam que a arte é um bom investimento e que gera mais lucro do que a maioria dos bens disponíveis no mercado.”

 

Naquele que é o 13º Relatório Anual do Mercado de Arte Global é possível encontrar indicadores como o famoso ranking Artprice dos 500 artistas mais procurados do mundo, sendo que os dois primeiros da lista são artistas em exposição, neste momento, na galeria de Matosinhos: Picasso e Andy Wharhol. O último, estabeleceu um novo recorde faturado apenas por um artista de 524 milhões de euros. “Apesar da P55 ter dois anos de existência, já trabalho neste mercado há alguns anos e sinto que as pessoas estão mais recetivas e que há muita rotatividade ou seja, há muita oferta mas, também, muita procura”, explica o CEO da jovem leiloeira que admite que existem não só mais obras em leilão como cada vez mais procura falando numa “reciclagem natural da arte”.

Partilhar