Excepcional Harpa Francesa do Séc. XVIII

  
 
Valor da venda: 10000,0

Excepcional Harpa Francesa do Séc. XVIII.

Da autoria do mestre “Luthier” Jean-Mathias Wolters, estabelecido em Paris, na Grand Rue du Faubourg Sait-Antoine, podendo tratar-se de artista de origem alemã estabelecido em Paris no faubourg Saint Antoine entre 1740-1777, e activo entre 1740-1793.

Trinta e oito cordas; sete pedais de movimento simples; mecanismo “à crochets”.
Caixa harmónica de secção poligonal, com quatro aberturas ovaladas de dimensões decrescestes no sentido ascendente, dispostas verticalmente nas costas.
Tampo de veio transversal.
A consola apresenta belíssima decoração policroma em Vernis Martin, com chinoiseries sobre fundo castanho e é rematada por enrolamento em talha dourada a folha de ouro, com motivos de folhagem de carvalho e bolotas.
Coluna canelada, realçada a dourado, rematada no topo por motivos neo-clássicos envolvidos em grinaldas e festões, também em talha dourada. Na sua inserção no soco, é igualmente envolvida por motivos fitomórficos em talha dourada, que se espraiam sobre o mesmo. Soco decorado a talha dourada com motivos vegetalistas.
A forma e a decoração desta harpa, bem como tipo de mecanismo, permite datá-la dos finais da década de sessenta do século XVIII.
O Museu da Música de Paris possuiu uma harpa cuja decoração em Vernis Martin apresenta grandes semelhanças com esta, da autoria de Renault & Chatelain (ver Catálogo deste Museu, pg. 97).

No Victoria and Albert Museum, Londres, e com o Nº de Inventário W.46-1911, existe uma harpa semelhante, do mesmo fabricante que esta, agora em praça.

Bom estado de conservação, embora com vestígios de xilófagos.
Só com uma corda, dita de Nápoles.
Dim.: 167 x 80 cm.

Transcrição da etiqueta (degradada), impressa em papel e colada na base:

[…T…]

Maître Luthier-Fa[bricant] …. /
demeure dans la grande rue [du faubourg] /
Saint Antoine, chez un Ma[rc]han[d]….. ./
au Roi de Siam, [……….]elle […]e Saint /
Nicolas, au second […] & fournit […] /
des C[ordes de(?)] Napl[es(?)] … /
“Nº 24”
PARIS

Agradecemos às Sras. Doutoras Isabel Pereira Coutinho (antiga conservadora na Fundação Calouste Gulbenkian), e Catherine Faraggi (do Palácio de Versailles), a colaboração prestada na peritagem e descrição desta peça.

Notas:

Grande apreciadora e executante de música, Maria Antonieta Arquiduquesa da Áustria e Rainha consorte da França e Navarra (1755-1793, na guilhotina) possuía algumas harpas, havendo diversas suas representações tocando. Sem o podermos afirmar peremptoriamente, existe a possibilidade de a presente harpa lhe ter pertencido e, posteriormente a Josefina de Beauharnais, Imperatriz dos Franceses de 1804 a 1810 e Rainha da Itália de 1805 a 1809, como primeira mulher de Napoleão Bonaparte.

Esta peça foi trazida para Portugal pela Sra D. Luísa Aglaé Fanny de Sá Nogueira, filha de Bernardo de Sá Nogueira,1º Marquês de Sá da Bandeira, nascida em Paris (de Josephine Fourgeux-Letol) em 1824. Veio para Lisboa, onde viria a casar com seu parente Faustino de Paiva de Sá Nogueira (s/ geração). A harpa manteve-se até hoje na família.

Vid.
VANNES, René, Dictionnaire Universel des Luthiers, Paris - 1979.

BAINES, Anthony: Catalogue of Musical Instruments in the Victoria and Albert Museum - Part II: Non-Keyboard Instruments. (London, 1978), p. 81.



Dim. Máx.: 166,00 x 86,00 x 42,00 cm

Ref: 2016.5297