5 razões para comprar Obra Gráfica

5 razões para comprar Obra Gráfica

 

Há boas notícias para o mundo da arte: a compra de obra gráfica está a crescer. 

Chamamos obra gráfica ao conjunto de obras de arte que resultam da combinação de diversas técnicas que o artista aplica numa produção em série. Grandes artistas da história da arte como Toulouse-Lautrec, Pablo Picasso, Andy Warhol e Salvador Dalí produziram bastante trabalho gráfico ao longo das suas carreiras. 
Hoje vamos explicar 5 razões para comprar trabalho gráfico e por que é uma ideia muito boa.

 

O que é uma obra gráfica?

Como já dissemos, uma obra gráfica consiste na produção em série de obras de arte utilizando vários métodos. A obra gráfica é tradicionalmente associado à gravura, uma técnica de impressão a partir de uma matriz ou placa. 

As técnicas de gravura são diferentes porque dependem do material matricial.
Desta forma, se a matriz é madeira falamos de xilogravura, se for pedra falamos de litografia, se for metal é calcogravura e em tela de seda, serigrafia.

 

Como é realizada uma obra gráfica?

Todas as técnicas de gravura têm uma coisa em comum: o artista tem de desenhar um retrato na matriz, sendo a imagem que mais tarde será estampada no papel.
Mas é no processo de elaboração que surgem as grandes diferenças técnicas:

Xilografia (gravura em madeira): é a técnica mais antiga, desde que é trabalhada desde o século XIV. Consiste em preparar uma matriz de madeira seca e lixada e desenhar na superfície no sentido inverso ao qual queremos obter como resultado final.
A madeira é esculpida ao longo das linhas do desenho, deixando algumas partes em relevo, tinta com um rolo e finalmente estampada no papel.
O famoso gravador Albrecht Dürer já recorreu à corte de madeira no século XV.

Albrecht Dürer | P55 Magazine | P55 - A plataforma da Arte

Serigrafia
(gravura em tela de seda): a impressão de tela de seda é uma técnica chinesa que se tornou moda nos EUA e Europa desde 1940. Consiste em estender um tear e desenhar no tecido com materiais impermeáveis em áreas onde não queremos que a tinta penetre. Uma folha de papel é então colocada sob o tecido e a tinta é espalhada sobre o tecido. A tinta é filtrada do tecido para o papel deixando as áreas impermeáveis livres, obtendo assim a imagem final.
Andy Warhol, um ícone do artpop, já estava a virar-se para a serigrafia com Marilyn em 1967.

Andy Warhol | P55 Magazine | P55 - A plataforma da Arte

Litografia (gravura em pedra): é uma técnica recente, descoberta em 1778 e disseminada na Europa desde então. Consiste em utilizar como matriz uma placa de calcário na qual o desenho é feito com lápis e tintas gordurosas para as partes impermeáveis onde não queremos que a tinta atue. Graças à repulsão entre água e gordura, podemos carimbar a imagem no papel.
Francisco de Goya já recorreu à litografia com The Famous American Ariane (1824) e na P55 temos à venda litografias de artistas de renome como Banksy, Warhol ou Kandinsky.

Banksy | P55 Magazine | P55 - A plataforma da Arte

Calcogravura (gravura metálica): é uma técnica que permite métodos diretos e indiretos. A sua origem é alemã e italiana, e tem sido feita desde o século XV.

- Métodos diretos (para a ponta seca e buril): consiste em desenhar com um buril ou uma ponta seca na matriz metálica, de preferência cobre. O buril corta o metal, enquanto a ponta seca o arranha, tornando-o menos agressivo. A tinta é derramada sobre o desenho e através de uma prensa a imagem é estampada no papel. 

- Métodos indiretos (Água-forte e Água-tinta): O primeiro consiste em cobrir a matriz com uma camada de verniz resistente ao ácido a partir da gravura. Com uma ponta o desenho é feito riscando o verniz e, em seguida, o ferro é imerso em ácido nítrico e água, corroendo as linhas do desenho. Quando a corrosão estiver completa, o verniz é removido e a tinta e a estampagem são prosseguidas. A segunda é uma derivação da gravura para alcançar efeitos e desenhos semelhantes a aquarela feitos com tinta.

Artistas como Rembrandt, Munch, Piranesi ou Francisco de Goya recorreram aos diferentes métodos de Calcogravura durante a Era Moderna.

 

Rembrandt | P55 Magazine | P55 - A plataforma da Arte


5 razões para investir em obra gráfica 

  1. É mais acessível: o trabalho gráfico é mais acessível do que uma obra de uma única cópia. Alguns fatores que influenciam o preço acessível do trabalho gráfico são a técnica e as dimensões utilizadas nas peças, bem como o número de cópias da tiragem. Esta diversidade é uma ampla oferta para o colecionador e comprador médio, pois pode comparar os preços do trabalho gráfico no mercado e encontrar os que melhor se adequam às suas possibilidades. Lembremo-nos que o trabalho gráfico está na moda, por isso a oferta é ampla.

  2.  É mais rentável: investir em trabalho gráfico é mais rentável do que pensamos por várias razões:
    Em primeiro lugar, porque o seu valor pode aumentar ao longo do tempo. Como o Banksy, que ganhou interesse nos meios de comunicação ao longo dos anos ou porque é um trabalho póstumo, como no caso de Andy Warhol.
    Em segundo lugar, porque podemos obter uma série completa que acrescentaria valor ao conjunto ao revendê-lo.

  3. É muito exclusivo: uma obra gráfica pode ser muito exclusiva se se tratar de um esboço preparatório da gravura final (as obras anteriores podem tornar-se altamente procuradas, uma vez que reflete o estado anterior de uma obra de arte e que enriquece a informação sobre o mesmo), se a tiragem é limitada ou até se tem detalhes únicos que foram incorporados pelo artista. 

  4. É mais original: a originalidade da obra gráfica está ligada à sua exclusividade. O artista que complementa a obra com detalhes peculiares torna a obra gráfica uma peça inédita e única, independentemente de existirem uma, duas ou dez peças, uma vez que cada detalhe complementar será único e não transferível.

  5. É a prenda perfeita: embora a arte seja uma coisa muito pessoal, muitas pessoas compram arte para oferecer aos seus entes queridos. Seja um momento festivo ou uma ocasião muito especial, uma boa obra de arte torna-se um presente único e inovador, que pode ser valorizado por toda a vida.

 

Venda de obra gráfica na P55 

Na P55 temos à venda obra gráfica não só dos grandes ícones da arte como Dalí, Lichtenstein, Picasso, Keith Haring, Klimt, Matisse e Monet, mas também de artistas magníficos como Banksy, Vhils, Darocha, Oker, Molina, e Cruzeiro Seixas, entre outros. 


Publicação Mais Antiga Publicação Mais Recente